Ninguém ouviu/Um soluçar de dor
No canto do Brasil /Um lamento triste
Sempre ecoou/Desde que o índio guerreiro
Foi pro cativeiro/E de lá cantou

Negro entoou/Um canto de revolta pelos ares
No Quilombo dos Palmares/Onde se refugiou

Fora a luta dos Inconfidentes/Pela quebra das correntes
Nada adiantou/E de guerra em paz
De paz em guerra/Todo o povo dessa terra
Quando pode cantar
Canta de dor

ô, ô, ô, ô, ô, ô
ô, ô, ô, ô, ô, ô

 

Está música retrata a realidade contraditória de um país que não quis resolver seus principais problemas sociais. É preciso voltarmos a sonhar. Voltar acreditar num país livre e para todos. Enquanto, não entendermos que o principal capital de uma nação é o seu povo, jamais iremos construir as condições necessárias para transformar a realidade social e, claro, o desenvolvimento sustentável. Estamos na era da tecnologia, numa realidade de bits e bytes. O processo de inserção tecnológica vem rompendo com todos os padrões estabelecidos da sociedade. Por isso, mais do que nunca, temos que investir em nossa gente, por meio de educação e investimento maciço em tecnologia. O Brasil precisa achar o caminho de volta e reconstruir suas bases por meio de ações inteligentes, voltadas para o desenvolvimento dos recursos humanos, priorizando o ser humano como principal instrumento de mudança de toda estrutura de nossa realidade.

O grande equívoco de nossas políticas públicas, com toda certeza, foi repudiar  as ações  voltadas para qualificação e capacitação da sociedade.  Estabelecer uma agenda inteligente que promova políticas públicas em nossa estrutura educacional é a solução de médio e longo prazo.  Não existe milagre! É preciso muito trabalho e consciência clara dos problemas reais que afetam nossa estrutura social.  Enfim, temos que resolver o processo histórico de nossa política escravocrata, que é a origem de todas as nossas desigualdades. A concentração de renda tem sido desde os tempos mais remotos nossa principal anomalia, dificultando, de forma contundente o desenvolvimento sustentável da sociedade brasileira.

A EDUCAÇÃO DE QUALIDADE É O INÍCIO, O MEIO E O FIM NA SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS DE NOSSA DURA REALIDADE…

Relacionados

Comente este artigo

Your email address will not be published.