A UTOPIA E A QUIMERA: UM SONHO CHAMADO BRASIL
A realidade da política nacional tá feia: enquanto Beira -Mar movimentou 6 milhões nos seus esquemas, a nossa política no processo de corrupção movimentou bilhões e bilhões, ou seja, é melhor soltar o Beira – Mar e prender essa galera. A coisa ainda ficou mais feia quando o dono da Friboi jogou todo mundo na boca do lobo e foi para New York junto com seu iate. Que loucura! Não há isonomia! Enquanto isso, Marcelo Odebrecht vive seus maus dias encarcerado em Curitiba! Nossos amigos da Friboi dominaram o mercado, ganharam mais dinheiro apostando na própria delação. O Sr. Janot que me perdoe, mas isso é sacanagem. O sujeito assaltou o BNDES, colocou quase 2000 políticos debaixo do braço e tá rindo da cara de todo mundo em plena 5ª Avenida (N. York). Esse é dos bons! Comeu, comeu e se mandou para viver nababescamente com o dinheiro do povo brasileiro. Que vergonha! Não dá para acreditar na sensibilidade de nosso Judiciário. O simbolo da Justiça é interessante: os olhos são vendados,ou seja, ninguém quer enxergar a verdadeira realidade, a coisa parece que é teatral – é tudo montado. Enquanto isso, o cidadão comum é tratado com total descaso. Os hospitais públicos não funcionam; as escolas públicas andam de mal a pior, a segurança pública não existe, política habitacional é fantasia, transposição do rio São Francisco tem sido feita nos joelhos da fé, e o legado da copa é um amontoado de arenas sem serventia. O Estádio do Mané Garrincha um dos mais caros do país, vive às moscas. Que país é esse, que priorizou Copa do Mundo e as Olimpíadas em detrimento à educação e à própria sustentabilidade da nação. Como diz nosso hino: deitado eternamente em berço esplêndido, ao som do mar a luz do céu profundo… Que Deus nos acuda da loucura irracional de nossas meninas e meninos de Brasília. Democracia é a palavra do engodo e o lamento do eleitor. Votamos e votamos e votamos para sustentar a vida ardilosa dos detentores do PODER. Nossa política vive da cultura do gafanhoto e do vampiro, pois onde chegam devoram tudo… Acreditar ou não é uma questão de ilusão utópica dos olhares distraídos… Nossas instituições vivem de factóides (fatos forjados) montados sobre as mesas dos interesses antirrepublicanos de nossa pseudo democracia…

Relacionados

Comente este artigo

Your email address will not be published.