UM MOMENTO DE REFLEXÃO

Hoje tratarei do significado existencial. Tratarei dos meus dias na Terra. Tratarei da forma como tenho que viver.  Sei que hoje, tenho mais passado do que futuro. Sei que não irei viver para semente. Sei que o tempo é por demais precioso, por isso, preciso fazer dos meus dias algo interessante, em outras palavras, encontrar o meu significado existencial. Sei que não vale a pena correr atrás do vento, lutar por aquilo que não irá acrescentar nada em meus poucos dias. Enfim, aprendi, na altura dos meus 48 anos, que somos aves passageiras, que o importante é viver uma vida construída sobre valores inegociáveis. Aprendi que dinheiro é bom, mas não se compara a saúde e a paz. Aprendi que viver entre os mais simples representa alguns anos de vida. Aprendi que etiqueta é coisa de gente fútil, porque bem sabemos são feitas de uma casca fina de verniz, no fundo, a hipocrisia impera. Percebi que nesses anos vividos que o melhor que podemos fazer é buscar uma vida baseada na frugalidade e na boa palavra, no mais, tudo é apenas vaidade. Poder, dinheiro, beleza, pódio, honrarias , são apenas coisas do mundo que não são capazes de dar um significado verdadeiro à vida. Assim, tenho eu vivido, “fugindo da feira e das moscas venenosas”. A multidão é perigosa, não faço muito gosto de viver cercado por muita gente, pois no silêncio encontrei minha vida e missão. No meu silêncio consigo ouvir a voz da vida e falar com Deus. O mundo, tenho eu criticado. Critico a ganância desenfreada e a guerra aflita das almas. Religião não pode ser amuleto e nem uma marca para vestirmos, mas uma forma de viver e agir. Vejo tanta gente perdida que vive a poder de revotril, tanta gente que não consegue perceber a força do tempo, pois somos apenas uma fração de tempo. Nascemos, vivemos e atingimos nosso ocaso. Por isso, procure ser menos arrogante diante da força vital. Não deixe que o dinheiro, que o poder fale mais alto que a razão… Lembro-me de um filme em que um casal  realizou o seguinte diálogo:  – fulano eu sei que um dia você vai chegar lá, mas quando lá você chegar, com certeza, vai descobrir que lá, simplesmente lá, nada existe. Viver é uma questão de sabedoria, de visão e sensibilidade.

Ricardo André

Relacionados

Comente este artigo

Your email address will not be published.