images (1)Neste post, tratarei do problema recorrente das dívidas na vida da maior parte da sociedade brasileira.  Como é difícil acordar com o telefone tocando e os credores batendo em nossa porta. Como é difícil encarar a realidade do dia a dia, quando não temos recursos para pagar uma passagem de ônibus. Como é triste viver debaixo do chicote das dívidas, tudo isso, por falta de consciência e disciplina em lidar com o dinheiro. Gente, tenho afirmado em meus posts e minhas palestras, que dinheiro jamais aceitou e aceitará desaforo. Aquele que não junta um, jamais chegará a ter dois. A poupança é a condição única para atingirmos a independência financeira. Ninguém chega a lugar algum jogando dinheiro no ralo da vaidade. É uma questão de escolha-temporal. O que deixamos de fazer hoje, para realizar nossos sonhos no presente-futuro é o preço da renúncia. Renuncio o prazer de consumir agora para consumir melhor depois. Na vida, geralmente, não podemos ter tudo  o que queremos em qualquer tempo. É preciso escolher o que queremos e planejar cada passo de nossas ações. Não devemos levar uma vida sem foco e sem sentido. Quando não temos o alvo, não adianta lançar a flecha. O melhor a fazer é especificar o que queremos de fato  realizar ao longo de nossa jornada. A falta de objetivos e planejamento daquilo que desejamos são os principais obstáculos para realizarmos nossos projetos.

A constância de propósito, a disciplina, a vontade intensa de fazer algo valer a pena são pontos fundamentais na construção de nosso destino. Aqueles que tratam a vida a revelia da inteligência são presas fáceis das armadilhas do mercado financeiro. Todo sistema comercial e financeiro foi feito para retirar o dinheiro do seu bolso. As propagandas veiculadas em nossas mídias tem como principal objetivo te deixar um pouco mais pobre. Claro que não defendo uma vida de pobreza, ou seja, a pessoa deixar de viver para guardar dinheiro. O que prego, na verdade, é que devemos consumir com consciência, comprar aquilo que precisamos com dinheiro que temos e não comprar aquilo que não precisamos com dinheiro que ainda não temos. O cartão de crédito tem sido um veneno para muita gente, tendo em vista, que não há a percepção imediata do gasto ( o dinheiro saindo da carteira), mas no fim do mês a dor de cabeça chega num amontoado de dívidas.

A dívida é o maior empecilho na vida do povo brasileiro. Aquela máxima é por demais verdadeira: quanto mais se ganha mais se gasta. A insensibilidade com o valor do dinheiro no tempo, tem deixado muitas vítimas no meio do caminho. Muitos sonhos são abortados pelo fato das pessoas não compreenderem  a engrenagem do dinheiro. Se quisermos encontrar um mundo de paz, equilíbrio e sucesso, temos que, independente de qualquer coisa, aprender a poupar pelo menos 20% dos nossos rendimentos. Não há outro caminho. Não adianta sabotar a maratona da vida. Temos que seguir as trilhas determinadas. Quando entendemos que a poupança é o principal fator de sucesso, neste momento, as coisas começam a mudar em nossa realidade. Aprender a poupar é a única forma de rompermos com a lógica do empobrecimento e do sofrimento, ocasionado pelo peso das dívidas. Vamos em frente, buscando a cada dia, construir hábitos, que venham produzir efeitos positivos em nossa história.

Nada é impossível desde que estejamos, de fato, comprometidos com aquilo que queremos realizar.

Serviços:

Atuo como consultor financeiro (pessoas e empresas); palestrante motivacional, professor de matemática financeira, cursos empresarias como: Atendimento ao Cliente, Liderança, Negociação, A Arte de Falar em Público, Matemática Empresarial, Liderando em Tempos Difíceis, etc.

Contatos: cardozoandre@hotmail. com – Tel (24) 98815-1949 (whatsApp)

Relacionados

Comente este artigo

Your email address will not be published.