Podemos afirmar que  a decisão entre o consumo e poupança é uma decisão entre consumo no presente e consumo no futuro. De fato, a poupança  realizada pelas famílias pode ser motivada por uma necessidade de segurança futura, mas também pelo desejo de aumentar os seus  rendimentos futuros através da aplicação da poupança.

Dentro do modelo em que vivemos a única forma de romper com as dificuldades de sobrevivência é por meio da poupança. A poupança é um instrumento que nos permite conquistar autonomia em todos os sentidos. Como dizia o brigadeiro Eduardo Gomes: O preço da  liberdade é a eterna vigilância.

A engrenagem capitalista tem como meta principal retirar cada centavo de nossos bolsos, por meio de um sistema midiático poderoso, que nos incita a consumir a todo o momento. Os shoppings centers é aquilo que podemos chamar de CATEDRAL DO CONSUMO, onde todas as ferramentas de propaganda são utilizadas para manipular e conduzir a mente do consumidor. Somos bombardeados por todos os lados com as mais diversas ofertas de produtos, enfim, o caminho mais seguro que nos levará ao sucesso é o equilíbrio financeiro e, claro, o acúmulo de recursos para investimento. À medida que aumentamos nossa poupança, aumentamos automaticamente nossa capacidade de romper com as correntes da pobreza. A pobreza é o resultado da escassez de recursos e da falta de investimento pessoal. A educação possui uma força enorme no desenvolvimento econômico sustentável de qualquer economia, porque permite mais mobilidade social, ou seja, as pessoas tem condições  de aumentar a renda por meio de melhores oportunidades no mercado de trabalho. É fundamental que qualquer um, que queira melhorar sua vida econômica e financeira  esteja, de fato, comprometido em acumular recursos, em outras palavras, POUPAR. A poupança é o remédio que cura o estado de pobreza, porque permite novas possibilidades no contexto sócio-econômico. A poupança nos permite liberdade de dizer onde estaremos e o que faremos, ou seja, é o caminho que nos concede  autonomia para decidir nossa própria vida. Aqueles que desperdiçam o suor do seu trabalho, sem sombra de dúvida, jamais conquistarão uma vida plena e feliz; estarão sempre nas mãos do sistema financeiro com seus juros abusivos.

Muitos poderiam  viver uma vida  menos estressante, entretanto, a falta de disciplina e planejamento financeiro tem  sido a origem de graves problemas sociais. A consciência a respeito das finanças pessoais é condição fundamental para construirmos uma vida lúdica e salutar. Por isso, reflita sobre a forma como você vem conduzindo sua vida. Não gaste dinheiro com aquilo que não precisa e não faça contas que não podem ser pagas.

Relacionados

Comente este artigo

Your email address will not be published.